BTT Ervedosa – A Rota do MINEIRO!

Não adianta florear muito a coisa… Vamos tentar ser claros e objectivos.

O BTT Ervedosa organiza vai para sete (7) anos a Rota do Mineiro.

Vou na 5.ª participação consecutiva!
Ao longo de todos estes anos, encontrei sempre motivos para ali me deslocar, e, de para ali me fazer regressar.

Porque não vivo, felizmente, sozinho, ou “isolado” neste mundo cruel (…), e, talvez, eventualmente, fruto dos sucessivos relatos que fiz, ano após ano, acerca da Rota do Mineiro, pude este ano verificar que pelo menos, seis (6) amigos meus tiveram a ousadia de tomar a decisão de irem verificar, por si, tudo aquilo que a Ervedosa, Vale das Fontes, Vinhais, Bragança, Trás os Montes, em geral, tem para oferecer.

Seis amigos que percorreram cada um, a distância de 400 km (ida e volta),para  poderem confirmar, ou não, as maravilhas que lhes descrevi.

Seis amigos, que passaram, algumas horas no “Reino Maravilhoso” de Miguel Torga, e de todos os portugueses, sensações que certamente permanecerão nas respectivas memórias, pelo menos o bastante, para que tenham vontade de repetir a dose.

Seis amigos que puderam verificar que afinal… não é “taaaaaão” longe assim… e que vale muito a pena lá voltar sempre que se possa. Haja boa vontade…

Melhor que eu, dirão eles, o que trouxeram da deslocação.

Lá se foi a clareza e a objectividade…

Se começasse a escrever tudo o que me vai na alma acerca da VII Rota do Mineiro, uma vez perdida a objectividade e a clareza, 😉 certamente que seria maçador…

Posso, no entanto assegurar, que, como de costume, esta foi, sem dúvida, a melhor de todas  as que foram efectuadas até hoje! … 🙂

Sempre a inovar, e desta vez, a inovação do BTT Ervedosa caiu no meio de uma jovem plantação de pinheiros…

Um declive brutal, um “drop” de mais de 30  metros, perfeitamente ciclável! Podia ser confundido com single track… Podia! Mas não era a mesma coisa…! as marcações fluorescentes nas raízes das árvores, indicavam o caminho para que no final se respirasse de alívio e de alegria… e de vontade dar a volta para o fazer outra vez… Brutal!

As paisagens eram verdadeiramente esmagadoras, a aparição do rio Tuela, em plena descida de tirar a respiração, marca a vida de um betetista. Não resisti, e parei!

A travessia de uma ponte centenária feita por homens valentes, cujo suor engrossou o caudal daquele rio de dificuldades, que me gelou as entranhas… logo confortadas por generosa “paragem para hidratação”, como diz o meu amigo KiKo …

Regressando à objectividade… um evento absolutamente fantástico! Merece ser vivido e apreciado. Merece ser acarinhado e incentivado. Merece!

Não meto fotos. Não meto gráficos, nem outras mariquices… É mesmo só para dizer o que me vai na alma.

Obrigado pela paciência, se conseguiram chegar até aqui. E já agora:

“O mal de quem apaga as estrelas é não se lembrar de que não é com candeias que se ilumina a vida.” Miguel Torga in Diário 1946

Obrigado BTT Ervedosa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Subscrever Blog via email

    Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.